Google+

4 curiosidades sobre a natureza que talvez você ainda não saiba


4 – O Monte Everest oscila lateralmente e não para cima





Há cinquenta milhões de anos, o subcontinente indiano decidiu que não gostava da vizinhança ao sul do Equador e se mandou para o norte. Ele eventualmente colidiu com a Ásia, criando o Himalaia (incluindo o Monte Everest) durante o processo.
Hoje, com seus quase nove mil metros de altura, o Everest é a montanha mais alta da Terra, que está acima do nível do mar (no item 3 você vai saber porque colocamos essa observação). Contando com o fato de que a colisão Índia-Ásia ainda está em curso, seria certo dizer que o Everest continua “crescendo”?
Segundo os cientistas, não. Eles dizem que têm medido meticulosamente a altura da montanha. Giorgio Poretti, professor da Universidade de Trieste, concluiu em 1995 que o Monte Everest não está subindo a uma taxa significativa. 
Em vez disso, o pesquisador observou que a colisão continental em curso entre a Índia e a Ásia está, na verdade, movendo o Everest na direção nordeste a uma velocidade de 42 milímetros por ano.
Tomando isso como base, se uma pessoa subir mais ou menos o mesmo número de metros que Sir Edmund Hillary e Tenzing Norgay fizeram em 1953, ela estará concluindo essa rota a quase três metros ao nordeste de onde eles alcançaram seu recorde. Maluco isso, não?

3 – A montanha mais alta do mundo é Mauna Kea





Agora você vai saber por que o Monte Everest, não é, na verdade, a montanha mais alta da Terra. Mauna Kea é parte da ilha do Havaí. Ela não se parece nem de longe tão alta quanto o Everest, mas isso é só porque é a montanha vulcânica fica quase toda submersa e tudo o que podemos ver é seu cume.
Desde a base, Mauna mede um pouco mais de dez mil metros, o que a torna muito mais alta do que o Everest. Cerca de metade da ilha de Havaí é ocupada pela montanha, que tem sido formada por lava de milhões de anos.

2 – Os tornados são invisíveis





Será que nós podemos enxergar um tornado? Bem, nós sabemos que o ar é invisível e, tecnicamente falando, o que vemos é uma nuvem de condensação composta de gotas de água e, por vezes, sujeira e detritos. Isso tudo se forma dentro do funil invisível de ar que é o tornado.
Os tornados geralmente se formam em tempestades do tipo “supercélulas”, que têm aquele visual incrível e uma corrente de ar ascendente girando em movimento. Ninguém sabe ao certo como é que o funil começa a se mover para baixo a partir da supercélula ao chão.
Isso pode estar relacionado com as diferenças de temperatura ao longo da borda da corrente descendente nas proximidades. O vapor de água se condensa normalmente dentro do funil de rotação do ar à medida que desce da supercélula, mas os tornados podem começar a causar estragos na terra muito antes do funil ter se formado completamente.

1– As nuvens pesam toneladas





Existem poucas coisas mais bonitas do que as nuvens brancas macias que flutuam em um céu azul. Nós tendemos a pensar que elas são levinhas como algodão. No entanto, as nuvens são realmente muito pesadas.
A média de uma formação de nuvens (formadas por gotículas de água) é de cerca de quinhentas toneladas. Mas e como ela flutua com esse peso todo? Bem, ela só consegue isso porque a atmosfera em torno dela é também muito pesada.


FONTE:  IMAGENS: